O presidente do sindicato de motoristas de aplicativos, Átila do Congo, cobra veementemente ao governador da Bahia, Rui Costa, e ao secretário de Segurança Pública (SSP-BA), Maurício Barbosa, a prisão dos autores da chacina dos motoristas, que aconteceu na manhã desta sexta-feira (13), em Mata Escura.  

“São cinco homicídios dentro de 45 dias só de motorista por aplicativos! A gente não pode aceitar mais, o governador Rui Costa tem obrigação de dar uma reposta, o secretário de Segurança Maurício Barbosa, você tem obrigação de apresentar esses monstros a sociedade”, exigiu Átila. 

Ainda demonstrando revolta, o presidente do sindicato confessou que a fonte de renda desses trabalhadores está em risco diante desse cenário de insegurança dos motoristas. De acordo com ele, não há como incentivar aos trabalhadores a continuar na profissão, pois o caso registrado nesta segunda não foi um fato isolado.  

À reportagem, Átila ainda relembrou os assassinatos de José Herinque, que aconteceu no bairro de Terezinha, e de um homem, identificado como Neidisson, que, segundo ele, morreu recentemente, ainda sem elucidação em ambos os casos. “Até hoje não foi apresentado, governador. Esses monstros que mataram esses quatros trabalhadores também ficarão ocultos, governador? Impunes?”, questionou.  

Não há informações sobre quais aplicativos as vítimas foram chamadas momentos antes do crime, mas, o presidente do sindicato destacou a responsabilidade de duas empresas, nas quais os alvos dos criminosos faziam parte. 

“Todas as duas empresas têm responsabilidade por essas mortes, as mãos dessas empresas estão lavadas de sangue, sangue de gente inocente e trabalhadora”. 

Ainda conforme Átila, há diversos protocolos que devem ser cumpridos para motoristas ingressarem em aplicativos, no entanto, as regras de segurança não são aplicadas com o mesmo rigor para os passageiros.