Já diz o velho ditado: “ quando o filho é feio, ninguém quer ser o pai”.

Assim fica logo de cara o questionamento acerca da reconstrução dos 7 km da BA 505, iniciada na região da Fazenda Vitória até o Portão do Lunda e da “requalificação”, melhor do que nada, dos outros 30 km até Pedra do Salgado.

O movimento até então encabeçado pela sociedade civil organizada, com o apoio de alguns veículos de mídia da cidade e da capital, tornou-se o novo EL Dourado matense.

Aí vem, o enredo da história que daria um roteiro de filme.

“ UM JOVEM DESPRETENSIOSO, CANSADO DE ATRAVESSAR A BURAQUEIRA DA ESTRADA QUE DA ACESSO A SEDE DA CIDADE ONDE MORA, RESOLVE REUNIR AMIGOS, VIZINHOS E PARENTES PARA PROTESTAR, LEGITIMAMENTE A REFORMA DA VIA. SÓ QUE NESSE CAMINHO ELE DESCOBRE QUE A BA 512, TAMBÉM PRECISA DA MÃO FORTE DO PODER PÚBLICO E PARTE PARA LUTA.  O QUE ELE NÃO CONTAVA É QUE SUAS PRETENSÕES, POPULARES, SE TORNARIAM PALCO PARA UMA GUERRA ENTRE PARTIDOS POLÍTICOS…”

Não estamos aqui descaracterizando a legitimidade da movimentação popular, nem tão pouco fazendo uma crítica a A ou B. Mas vemos que a oportunidade fez as aves de rapina, saírem das suas tocas.

Nos últimos anos Mata de São João vem sendo gerida, pelo grupo do então ex-deputado João Gualberto que segundo os discursos dos vereadores da base governista, iniciou a mudança do município que se encontrava em estado de calamidade.

Você anda nas ruas e sempre encontra um eleitor ou eleitoras, principalmente mulheres que defendem a gestão da ex-prefeita e dão e ela o título de “Mãe dos matenses”.

Agora a alcateia também está de olho no município que segundo o IBGE, tem uma população estimada em 2019 de 46.583, em 2017 os empregados formais tinham renda de 2,1 salários mínimos, e um PIB per capita em 2016, de R$ 22.498,15.

Na última segunda-feira 26, só para relembrarmos, as principais entradas e saídas da BA 505 foram fechadas pelos manifestantes que protestaram, pedindo melhorias na via. Vereadores e representantes da prefeitura estiveram no local e os pré-candidatos a gestão municipal também.

No último dia 27, também conhecido como terça-feira passada, o Governo do Estado, após reunião em Salvador, com políticos da cidade, representantes do movimento popular e empresários, enviou um técnico para a avaliação visual (no olhometro), das condições da BA e constatou-se a lastima da estrada.  

Em entrevista a uma rádio local ontem (28), o Prefeito Marcelo Oliveira, afirmou que no dia 13 de agosto, o Secretário de Infraestrutura Marcos Cavalcante, em mensagem via aplicativo, informou que a obra vai começar em setembro. 

” um vereador ai que se arvora a candidato pegou essa carona, soube desse compromisso do secretário e saiu por ai fazendo essa manifestação”.

e o prefeito continuou afirmando:

” Esse tipo de manifestação foi inútil, já que estava programada desde de 13 de agosto e agora que vem fazer manifestação, já que a programação está pronta?. Nessa manifestação nos tivemos notícias de que quatro pacientes, inclusive um oncológico, perderam seus agendamentos de consultas e tratamentos porque ficaram presos no bloqueio. isso eu acho que é um ato de irresponsabilidade desse vereador no afã de aparecer e colher os louros de um trabalho que ele não contribuiu”.

Tudo isso engrandece e fortalece alguém com toda certeza. Mas quem?

O povo que será beneficiado com a via, os produtores rurais que vão melhorar significativamente o escoamento da produção, os alunos que não vão mais faltar aula, porque o ônibus escolar não consegue ter acesso as localidades, o comércio que vai receber a visita de quem vem da orla, para conhecer a sede de Mata de São João, e os cofres públicos que vão arrecadar mais ainda e fechar a gestão com um superávit, especulamos nós, acima dos 50 milhões anunciados na prestação de contas em audiência pública.

Mas a paternidade da estrada?

Ai caro seguidor, vai ser tanta gente querendo pôr o dedão na certidão que até quem não tem pretensões políticas vai passar a ter, não sei se com os gualbertos, no colo de mainha ou na alcateia.

Vamos esperar. 

Quem vai assinar a paternidade