O Brasil ampliou nesta quarta, 10, a liderança nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa da África do Sul depois de derrotar o Paraguai por 2 a 1 no Estádio do Arruda, em Recife. Os gols brasileiros foram anotados por Robinho e Nilmar, descontando Salvador Cabañas.

O próximo jogo da Seleção pelas Eliminatórias será contra a Argentina, em 5 de setembro, em Buenos Aires. A partir de segunda-feira, o Brasil disputará a Copa das Confederações, na África do Sul, estreando às 11 horas contra a seleção do Egito.

Ainda pela 14ª rodada do torneio, o Equador complicou a vida da Argentina ao vencer por 2 a 0, em Quito. Os gols foram de Ayoví e Palacios. Completando a faseColômbia 1 x 0 Peru, Venezuela 2 x 2 Uruguai e Chile 4 x 0 Bolívia.

Pressão – Para ficar em posição confortável no torneio, o Brasil começou sufocando o adversário e em menos de dois minutos havia chutado a gol duas vezes com Robinho e Kaká, embora sem perigo.

Mesmo com 63% da posse de bola até os 15 minutos, a Seleção não conseguiu inaugurar o placar para desespero da torcida.

Os visitantes foram se tornando ousados e o gordinho Cabañas aprontou até conseguir fazer 1 a 0 cobrando falta que ele mesmo sofreu aos 24 minutos. A bola desviou na perna de Elano.

A imagem de paraguaios dançando na comemoração inspirou o time de Dunga a reagir e o calor da partida gerou cartões amarelos.

O empate do Brasil nasceu de jogada do baiano Daniel Alves, ex-Juazeiro e Bahia e hoje no Barcelona. Aos 40 minutos, ele cruzou da direita para esquerda na chegada de Robinho, que arrematou sem chance para Villar.

O Brasil virou para 2 x 1 aos 4 minutos do segundo tempo graças à combinação do passe perfeito de Felipe Melo para Nilmar e à falha de seu marcador, que deixou a bola espirrar em sua perna e sobrar limpa para o atacante do Inter (RS).

Com ambição, o Brasil não poupou energia, continuou partindo para o ataque e, aos 12 minutos, quase marca o terceiro gol com Robinho se Villar não defendesse para escanteio.

Ao trocar Ramires por Elano, aos 15 minutos, Dunga se antecipou às experiências programadas para o torneio africano e aos 36 minutos Robinho perdeu mais na frente do gol. Os minutos que se seguiram foram de muitas chances perdidas.