[Bunker de Geddel: Justiça ouve 11 testemunhas de defesa nesta terça (4)]

Por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), a Justiça Federal na Bahia vai ouvir, nesta terça-feira (4), 11 testemunhas de defesa no caso do bunker de R$ 51 milhões atribuído ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. O montante em espécie foi encontrado em um apartamento na Graça pela Polícia Federal.

A ação penal tem como alvos, além de Geddel, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, o ex-assessor Job Ribeiro Brandão, Marluce Vieira Lima e Luiz Fernando Machado da Costa Filho. A Polícia Federal investiga a origem dos R$ 51 milhões. A suspeita que a soma seja produto de propinas vindas do PMDB, da construtora Odebrecht e do operador Lúcio Funaro. O operador, inclusive, foi ouvido pela Justiça Federal de São Paulo na última quinta (30) como testemunha de acusação.

Prestarão depoimento, nesta terça, as testemunhas de defesa: Milene Pena Miranda Santana, Roberto Suzarte dos Santos, Joelza Brandão, Nilton Silva Filho, Cláudio Augusto Oliveira Porciúncula, Ricardo Saback Erudilho Guimarães, Leandro Saboia Laudano Santos, Roberto Moreira Borges Domingues, Antônio Almir Santana Melo Jr., Aloysio Ramos Senna e Raimundo Souza Costa.

Nesta segunda (3), foram ouvidas outras testemunhas de acusação: o empresário Sílvio Antônio Cabral da Silveira, dono do apartamento em que o dinheiro foi encontrado; Marinalva de Teixeira Jesus, então funcionária do deputado federal Lúcio Vieira; e Patrícia Santos Queiroz, administradora do prédio onde o dinheiro estava.

O ministro relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, autorizou Geddel a acompanhar os depoimentos das testemunhas por videoconferência.