Após denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), o juiz decidiu que o gerente regional da Pague Menos, Augusto Alves Pereira, e o técnico em refrigeração da empresa AR Empreendimentos, Luciano Santos Silva, deverão ir à júri popular sob a acusação de homicídio de 10 pessoas e tentativa de homicídio de 17 pessoas no acidente da farmácia Pague Menos, em Camaçari, ocorrido no ano de 2016.

De acordo com a sentença de pronúncia, outros dois denunciados pelo MP-BA, Rafael Fabrício Nascimento de Almeida, sócio da empresa de manutenção AR Empreendimentos e Erick Bezerra Chianca, sócio da empresa de manutenção Chianca, não serão acusados pelos crimes. A decisão ainda cabe recurso.

O caso

Em uma quarta-feira, 23 de novembro de 2016, a farmácia Pague Menos, localizada na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Camaçari, passava por um serviço de manutenção do ar condicionado, quando um incêndio acabou causando uma explosão e logo em seguida a queda de uma laje. A farmácia funcionava normalmente durante o serviço.

Nove pessoas morreram dentro do estabelecimento, entre funcionários e clientes. A 10ª vítima morreu dias depois no hospital. Nove pessoas ficaram feridas.