As cores vermelha e branca ganharam o Largo do Pelourinho na manhã desta quarta-feira, 4, quando é celebrada a Festa de Santa Bárbara, reconhecida como Patrimônio Imaterial da Bahia desde 2008.

A programação inclui uma missa campal, às 8h, de onde os devotos partem em caminhada até o Corpo de Bombeiros, passando pela Baixa dos Sapateiros.

Antes das 7h, alguns fiéis já aguardavam o início da celebração, como a autônoma Iza Nascimento, que já participa da festa há alguns anos. “Antes, eu ia à Igreja da Liberdade, mas depois comecei a vir aqui para o Pelourinho e, este ano, trouxe minha cunhada. Tenho muita fé em Santa Bárbara, que me concedeu muitas graças. Uma delas foi o meu filho, que nasceu no dia 6 de dezembro”, ressalta. 

Patrimônio imaterial da Bahia

O registro da Festa de Santa Bárbara, como patrimônio imaterial da Bahia, foi dado no início em 2004, mas o tombamento definitivo só aconteceu em 2008. A festa é a primeira manifestação litúrgico-popular de Salvador a entrar no processo de salvaguarda em nível estadual.

A celebração acontece desde os anos de 1980, na Igreja Rosário dos Pretos, localizada no Largo do Pelourinho. Desta forma, a capela ficou associada à atual Festa de Santa Bárbara.

A devoção começou em 1641, no século XVII, quando um casal de europeus que veio morar no Brasil trouxe a primeira imagem para capital baiana e construiu uma capinha para abrigar a imagem no bairro do Comércio, de acordo com pesquisas do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac).