O ex-presidente Lula (PT) contava com o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), para disputar o Palácio do Planalto em caso de ser impossibilitado pela Justiça Eleitoral. Condenado em segunda instância na Lava Jato e preso em Curitiba desde abril, Lula pode ser impedido de concorrer a cargo eletivo com base na lei da Ficha Limpa.

De acordo com a coluna Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, Lula foi informado de que Jaques Wagner já decidiu e não disputará a Presidência. O plano do ex-governador é concorrer a uma cadeira no Senado na chapa majoritária do pré-candidato à reeleição Rui Costa (PT).

Com o recuo de Wagner, resta apenas o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), como opção.