A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua sem acesso a íntegra do acordo de leniência da Odebrecht. No início do mês o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski determinou que, em até 48 horas, o juiz responsável pela 13ª Vara Federal Criminal, em Curitiba, concedesse o acesso, o que ainda não aconteceu. (Leia mais)

Entre os dados solicitados pela defesa de Lula estão em segredo os documentos assinados entre a Odebrecht e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (Doj), responsável pela leniência com países estrangeiros, além da Procuradoria-Geral da Suíça, outra signatária da tratativa.

Segundo a coluna Bela Megale do jornal O Globo, os advogados têm interesse na parte que traz as perícias feitas pela Polícia Federal. Eles querem averiguar se os documentos têm indícios de terem sido adulterados antes de pararem nas mãos os investigadores.