Milhares de colombianos saíram às ruas nesta Qunita-Feira,(21), em mais 400 pontos do país, para convocar uma greve geral e marchar contra as políticas propostas pelo presidente conservador Iván Duque, há um ano e meio no poder.

Na capital Bogotá, o esquadrão antidistúrbios jogou bombas de gás para tentar liberar um trecho da cidade e parte do serviço de ônibus foi interrompido.

Claudia López , prefeita eleita pela Aliança Verde, se uniu às marchas na central Praça Bolívar, onde fica a sede do Congresso, a uma quadra do Palácio Presidencial.

Em Cali, manifestantes queimaram pneus e vandalizaram 14 ônibus, fechando a principal via que cruza a região. A rede de metrô precisou ser interrompida na cidade, assim como em Barranquilla.

Desde o fim de semana, dezenas de militares fecharam as fronteiras e tomaram as ruas do centro de Bogotá, por onde costumam transitar manifestantes. Estes, através das redes sociais, denunciam uma “militarização” para intimidar o protesto.