Quarta, 22 de Setembro de 2021
(71) 99921-1917
Política Politica

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro diz que era obrigado a devolver 80% do salário em rachadinha

Marcelo Luiz Nogueira dos Santos fez a revelação em entrevista ao colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles

03/09/2021 09h53
Por: Redação Fonte: Metro1
Ex-assessor de Flávio Bolsonaro diz que era obrigado a devolver 80% do salário em rachadinha

Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, ex-funcionário da família Bolsonaro, acusou Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de ter ficado com pelo menos 80% de seu salário e de outros empregados. A revelação foi feita em entrevista ao colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles.

De acordo com o relato de Santoa, que diz ter trabalhado para família Bolsonaro por 14 anos, Ana Cristina comandou o esquema de rachadinha no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro e replicado no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro.

"[Ela] Ficava [com 80% do salário], bem mais do que eu. E eu trabalhava, hein? Das pessoas que trabalhavam, que eram só laranjas, ela ficava com praticamente tudo. Só dava uma mixaria para usar o nome e a conta da pessoa. Eu ainda ganhava mais ou menos, porque eu trabalhava.Marcelo Luiz Nogueira dos Santos", disse o ex-assessor em entrevista ao site Metrópoles.

"Não era igual para todo mundo. Cada caso era diferente. Mas vamos colocar nessa faixa, de uns 80%", acrescentou.

"Por exemplo: para o pessoal de Resende [cidade do RJ], ela só dava um um 'cala boca' para usar o nome e a conta, porque eles não trabalhavam, né? Ela é quem comia o dinheiro todo. Aí o que acontece: quando o Carlos foi eleito, o Carlos era uma criança, vivia no gabinete dele jogando videogame, com 17 para 18 anos, tanto que foi ela quem assumiu a chefia de gabinete do Carlos. Foi onde ela começou com isso. Mas o Carlos ainda morava com a mãe, não passava necessidade nenhuma, ainda estava começando a vida ainda, o pai sempre deu tudo", prosseguiu.

Questionado pelo jornalista do Metrópoles se tem como provar sua versão dos fatos, ele respondeu: "Aí não, eu tenho só a palavra mesmo".

Ainda segundo a reportagem do site, Santos foi contratado para ser babá de Jair Renan, filho 04 do presidente, e nunca teve carteira assinada por Ana Cristina e por Jair Bolsonaro.

O ex-empregado da família Bolsonaro também contou que trabalhou na campanha de 2002 de Flávio para deputado estadual. Entre 2003 e 2007, foi para o gabinete de Flávio na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro).

Marcelo Luiz Nogueira dos Santos foi exonerado do cargo de assessor técnico parlamentar no gabinete de Flávio Bolsonaro, então deputado estadual, em 6 de agosto de 2007, conforme publicação no Diário Oficial do governo do Rio.  O ato é assinado por Jorge Picciani e Graça Matos, respectivamente presidente e 1ª secretária da Alerj na ocasião.

Em nota enviada à coluna de Guilherme Amado, a defesa do senador Flávio Bolsonaro afirmou que o parlamentar desconhece as declarações que Marcelo Luiz Nogueira dos Santos deu ao jornalista.

A defesa do senador também disse não saber de supostas irregularidades que possam ter sido praticadas por ex-servidores da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) ou possíveis acertos financeiros que eventualmente tenham sido firmados entre esses profissionais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.