Quarta, 22 de Setembro de 2021
(71) 99921-1917
Educação Escola

Educação Escolar Quilombola e do Campo é tratada em seminário

A ação compõe a construção coletiva dos Cadernos Pedagógicos da Rede Pública Municipal de Ensino.

09/09/2021 16h15
Por: Redação Fonte: Dicom Pmc
Educação Escolar Quilombola e do Campo é tratada em seminário

Compondo as atividades formativas, acontece o II Seminário sobre Educação Escolar Quilombola e do Campo, nesta quinta-feira (9/9), realizado pela Secretaria da Educação (Seduc), através do canal da Diretoria Pedagógica (Dipe) no YouTube. A ação compõe a construção coletiva dos Cadernos Pedagógicos da Rede Pública Municipal de Ensino.

A secretária da Educação, Neurilene Martins participou do evento e destacou que “esse movimento é mundial pelo direito a uma escola pública, pelo direito a educação, portanto, esse seminário não se restringe a um grupo muito pequeno ou específico”. A titular da pasta ainda pontuou a potência do território de Camaçari e finalizou com o desejo de que Camaçari possa “crescer e se agigantar nas políticas públicas de educação escolar do campo e quilombola”.

A iniciativa tem como objetivos promover um espaço de diálogos e reflexões sobre a educação escolar do campo e quilombola, visando o fortalecimento do processo de escrita coletiva dos cadernos pedagógicos de Camaçari e ampliar o referencial sobre os saberes/fazeres no contexto da educação escolar destes espaços.

O evento foi aberto pela coordenadora de Inclusão Educacional, Maria de Fátima Cardoso, que destacou a participação de educadores que estudam essas temáticas e de educadores das escolas do campo e quilombolas, e também das demais escolas do município.

Com o recorte Educação Escolar Quilombola e do Campo: entre táticas e estratégias cotidianas, foi direcionada a fala do Dr.º Elizeu Clementino de Souza, professor titular do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEdu/Uneb) ao qual está vinculado o Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral (GRAFHO). A explanação foi feita em quatro ideias centrais: conjuntura nacional: a educação em disputa; caracterização da educação quilombola/rural-campo no Brasil: notas e desafios futuros; pesquisa (auto)biográfica, dimensões epistemopolíticas: apostas e orientações; e narrativas e trabalho docente: escritas de si, táticas e estratégias.

Na fala de abertura, o mestre em educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), e formador pedagógico de gestores escolares e coordenadores pelo Instituto Anísio Teixeira, Márcio Vila Flor, falou sobre a iniciativa. “Esse movimento compõe o contexto de discussão e construção coletiva dos documento curriculares da rede municipal de ensino, ancorados numa discussão sobre o referencial curricular municipal, sobre inovação pedagógica e sobre a autoria como princípio formativo nesse trabalho”.

A programação segue no turno vespertino e pode ser acompanhada através deste link, com os doutores, professora Iris Verena e Benedito Gonçalves Eugenio, que são educadores e pesquisadores da temática.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.