As escolas da rede estadual de ensino receberam, nesta quinta-feira (31), pais e/ou responsáveis pelosestudantes com necessidade específica (deficiência, transtorno global do desenvolvimento e/ou altas habilidades/superdotação, com ou sem diagnóstico comprovado) para a confirmação da matrícula dos estudantes. A pré-matrícula para a Educação Inclusiva foi realizada em novembro do ano passado e o dia hoje foi dedicada à entrega da documentação exigida para a consolidação do processo.

No Colégio Estadual Satélite, situado no bairro de Piatã, em Salvador, mais de 60 alunos com necessidade especial já estão com suas matrículas devidamente confirmadas. É o caso de Ana Vitória Santos, 17, que vai cursar o 7º ano na unidade escolar. A mãe, Ana Cristina Santos, que foi cedo ao Satélite para levar os documentos da estudante, conta o que a motivou a trocar a filha de uma escola particular para a rede estadual. “Ana Vitória tem transtorno cognitivo e, pela referência positiva que tive do Satélite, estou apostando que ela terá um melhor desenvolvimento. No dia que vim visitar a escola, fiquei encantada com a proposta pedagógica de Educação Inclusiva e com a atenção dos professores”.

A diretora do Satélite, Adrina Mendes, destacou o trabalho que é feito na escola. “Envolvemos todos os 400 estudantes da escola, entre os quais temos mais de 60 com necessidade especial. Há uma grande integração entre eles em todas as atividades que realizamos, juntamente com familiares e moradores do entorno. Nossas atividades culturais, como o tradicional Arraiá do Satélite, o clima é de protagonismo estudantil. Eles se envolvem na preparação e fazem questão de participar das apresentações. É muito gratificante ver a consolidação de um trabalho que tem neles os atores principais”, destacou a gestora.

No Centro de Atendimento Educacional (CAEE) – Pestalozzi Bahia, localizado no bairro de Ondina, também na capital baiana, o número de alunos matriculados passou de 282 (2018) para 310, este ano. Ocentro, que funciona há mais de seis décadas, realiza oficinas de arte e de informática, jogos pedagógicos, aulas de Educação Física, música, letramento e horta, estimulando o envolvimento das famílias, entre outras atividades. Conforme a diretora da unidade, Claudia Almeida, também são feitas parcerias com faculdades de Psicologia para atendimento às mães.

Edu­cação Inclusiva – A rede estadual conta com Atendimento Educacional Especializado (AEE). São 65 Salas de Recursos Multifuncionais (SEM), 12 Centros de Atendimento Educacional Especializado e seis instituições conveniadas. Os alunos são atendidos nas escolas da rede e nos Centros de Educação Especial, dentro de suas especificidades, para que possam participar ativamente do ensino regular. No ato da matrícula, a família pode escolher a escola da sua conveniência e a Secretaria providencia os meios para que o estudante acesse e permaneça na referida unidade escolar.

 

O ano letivo de 2019 começará no dia 11 de fevereiro e se encerrará no dia 16 de dezembro.