A Bahia está em festa desde que o Vaticano anunciou a canonização de Irmã Dulce, que oficialmente se tornará a primeira santa nascida do Brasil. A decisão, anunciada em maio deste ano, agradou sobretudo o trade turístico, que tenta ampliar o turismo religioso em Salvador.

O presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA), Silvio Pessoa, revelou que a procura por hospedagem para o mês de outubro tem crescido significativamente, sobretudo em torno da Arena Fonte Nova, onde ocorrerão os festejos.

“Com a santificação no dia 13 e a missa no dia 20 de outubro, a gente espera que pelo menos os hotéis nas proximidades da Fonte Nova fiquem lotados. Será uma grande festa, a procura pela visitação de Irmã Dulce [memorial e santuário] já é grande. Com o Caminho da Fé em andamento, criamos um grande salto no turismo religioso católico de Salvador”, disse ao portal bahia.ba.

Somente em agosto deste ano, o memorial dedicado à baiana, situado no Largo de Roma, recebeu 12 mil visitantes. O número é três vezes maior ao registrado em agosto de 2018.

Romaria

A expectativa do trade agora é conseguir emplacar um período anual oficial de romaria em homenagem à Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. Quatro meses estão sendo estudados: março (data que marca a morte), maio (nascimento e beatificação), agosto (data litúrgica) e outubro (canonização).

“Estamos discutindo com o clero e com a Pastur [Pastoral do Turismo]. Tivemos uma reunião com Dom Murilo [Krieger, arcebispo de Salvador], ele disse que tudo era possível, desde a data de nascimento à canonização, que poderíamos comemorar da forma que fosse mais apropriada. Vamos estudar todos os momentos para comemorar nossa primeira santa brasileira e baiana. Outubro é uma boa data, mas seria interessante a romaria em março, que é período de baixa estação”, explicou Silvio Pessoa.

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (Abih-BA), Glicério Lemos também demonstrou boa expectativa para a consolidação do turismo religioso. “Nossa expectativa é muito grande com a canonização, que vai deixar Salvador no patamar como a outras cidades estão. A cidade merecia isso há muito tempo, porque poucas cidades no mundo têm a quantidade de igreja que Salvador tem”, comemorou.

De acordo com recente levantamento do Sebrae, ao todo são 350 santuários e mais 11,3 mil paróquias no país, sendo 327 destes templos situados somente na capital baiana.